segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Viagem.

Já é hora de descarrilhar o trem,
De fugir dos trilhos,
De perguntar-nos qual o destino.

A indiferença apertou os cintos,
E o trem continuou,
Para onde?
Sabe-se lá.

Pouco importa para muitos,
Muito importa para poucos,
É uma inversão de valores,
Em um momento que,

Por incrível que pareça,
A maioria não devia falar,
Calar-se-ia o inventor da democracia,
Choraria então aquele que fala em
Indivíduo.

E o trem continua
Para onde?
sabe-se lá
E nós pequenas roldanas,
Continuamos firmes passageiros,

De uma torpe viagem,
Sem destino
Nem volta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário