segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Deixar.

A dificuldade encontra-se no entardecer,

Naquele momento entre o vermelho, último do dia.

E a pitada de cinza que tinge o céu, inicio da noite.

No transformar-se, compreende os problemas,

Entre nascer e morrer.

Largar hábitos, pensamentos,

Amores surrados.

É onde a dor é latente,

Difícil é,

Deixar o fio do dia se esvair,

Desligar-se do comodismo.

Aceitá-la, noite, tão mais serena,

Preciso deixar que o dia acabe,

Que a noite passe,

E o novo dia amanheça.

Limpando, todo sentimento amalgamado,

Que falta,

Já não me faz.

Um comentário:

  1. Tem textos que nos chegam como se traduzissem os nossos sentimentos. Belo texto, Caio Russo (:
    Ah! obrigada por escrevê-lo justamente hoje, era exatamente o que eu precisava ler antes de dormir. Talvez para deixar o dia acabar em paz e esperar que o novo dia amanheça radiante.

    ResponderExcluir