quarta-feira, 8 de junho de 2011

Diálogos.

Dessas manhãs frias,  sobrou-me ascos, poucos.
Largaram tantos, enquantos tantos, largaram,
Ventos, daqueles, desses, tão mais loucos,
É chuva de verão, dessas que já passaram,

Falar por dois diálogos,
Faltar pela eternidade,
Saltar por entre mares,
Dizer da mente, para mente, enquanto mente.

Declaro-me fora deste, grande e parvo mundo,
E ainda mais,
Nada mais desinteressante do que o humano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário