domingo, 10 de abril de 2011

Não

Não hei de parar,

Não de escrever,

Se por acaso tirares as minhas mãos,

Declamarei em voz alta,

Se minha língua então cortares,

Escreverei de minha alma,

Para eu,

Mesmo .

Um comentário: