quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Reflexo

Sinceramente não sou bom em descrever espelhos,

Começarei por onde?

Pelo pico dos montes?

Talvez nas depressões profundas?

Falar dos espelhos,

É para mim,

Deitar em folhas quentes de veraneio,

Caminhar na neve densa,

Navegar por rios intermitentes,

Sem enxergar

Começo

Meio

Fim,

É reflorestar uma floresta em um instante,

E queimá-la no próximo,

É beber todos os risos em uma noite,

Afogar-se em uma gota de lagrima na manhã seguinte,

É odiar no entardecer,

Amar durante séculos,

É entediar-se do mundo,

E interessar-se pelos pormenores,

É indagar, criticar,

Ser , estar , amargurar , satirizar ,

Sem nunca sentir,

Sentindo a todo instante,

Como digo,

Falar de espelhos,

Não é simples,

Não para mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário