terça-feira, 26 de outubro de 2010

Fora dos Padrões.

Entre, devagar,

Encoste a porta ao passar,

Tudo sorrateiramente,

Tire os sapatos

Deixe-os na soleira,

Para que tanto cuidado, pergunta-me ?

Sim meu caro, este é um poema de respeito,

Não é feito nem dado a palavras genéricas,

Exige originalidade, conteúdo, sentimento,

Criado em molde único,

Nunca visto,

Ouvido,

Tocado,

Completo em contornos acentuados,

Sinceridade exacerbada,

Poema que,

Necessita de vida própria,

De constante inspiração,

É tão complexo em suas criativas simplicidades,

A poema,

Quero guarda-lo com carinho,

Dentro da casa dos bons amigos,

Na caixinha dos risos bobos...


Um singelo texto à Talita Dionisio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário