quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Pequeno Adendo.

É indigesto polítizar este país,

Fatos são meras ilustrações de fundo,

O que realmente importa é teatrizar,

Remasterizar o passado,

De maneira que,

O que foi, pareça ser agora,

E o que não foi,

Pareça possível,

É indigesto criticar neste país.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Fora dos Padrões.

Entre, devagar,

Encoste a porta ao passar,

Tudo sorrateiramente,

Tire os sapatos

Deixe-os na soleira,

Para que tanto cuidado, pergunta-me ?

Sim meu caro, este é um poema de respeito,

Não é feito nem dado a palavras genéricas,

Exige originalidade, conteúdo, sentimento,

Criado em molde único,

Nunca visto,

Ouvido,

Tocado,

Completo em contornos acentuados,

Sinceridade exacerbada,

Poema que,

Necessita de vida própria,

De constante inspiração,

É tão complexo em suas criativas simplicidades,

A poema,

Quero guarda-lo com carinho,

Dentro da casa dos bons amigos,

Na caixinha dos risos bobos...


Um singelo texto à Talita Dionisio.

domingo, 24 de outubro de 2010

Sim, mais rápido.

Mais uma daquelas pressas rotineiras,

Viver logo, amar tão rápido quanto se possa,

Ser , estar,

Almejar,buscar,

Não me apresente as consequencias,

Quero velocidade da vida,

Suga-la cada segundo,

Secando todas as possibilidades,

Sem essencia,

Só velocidade.

Peculiar.

Ah querida insolidez,

Fiquei tão insoso quanto comida fria,

Tudo em banho maria,

Noturna insensatez.