quarta-feira, 16 de junho de 2010

Repetidamente desejo.

Por um instante eu desejo...

Que o meu mundo seja como saltos de crianças,

Que minhas descobertas sejam simples,

Que minhas falas sejam dóceis,

Que meus gestos sejam leves, agradáveis,

Por um instante eu desejo...

Que minha escrita seja formidável,

Que minhas palavras sejam brandas,

Que meu gênio seja inocente,

Que meu riso seja real,

Que meu choro crie caminhos,

Por um instante eu desejo...

Que minhas notas atinjam os abismos,

Que meus lábios toquem os céus,

Que meus sentimentos atinjam as águas

Desejo, intimamente desejo,

Desejo, mas não falo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário