sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Logo Eu.

Me perdi novamente. Logo agora que eu pensava ter me encontrado, vem o destino, pega-me pelo colarinho me dá uns safanões e me entrega delicadamente a vida.

Eu que pensava ter deixado de lado o pessimismo, as contradições, os desencontros.

Logo eu que imaginava ter sido dobrado pela fala mansa, pelos pequenos gestos, mudado de caçador para caça, ter observado a beleza rústica do humano.

Agora eu que me visto de palavras belas, que me contorço em sorrisos e alegrias,

Eu mesmo, o que procura e não encontra, o que fala mais não age, o que dita mais não cumpre, este que não conhece a coragem,

Vem então novamente o destino a mim e diz “reage rapaz, você foi feito a ferro e fogo, pitada de sarcasmo e vontade interminável de viver”.

Um comentário: